Posts Tagged ‘receita’

h1

Lombo de Porco, Parte 1

setembro 11, 2008

Então, demorei mas tô aí…

Fiz uma parada hoje e não quero esquecer, Tatty comprou um lombo de porco de mais ou menos 1,9 Kg.

Tirei do congelador, coloquei numa travessa, mandei por cima pitadas de páprica picante, fazendo uma linha fina em toda sua extenção, mandei em doses consideradas cominho com pimenta do reino e amassei na mão dois punhados de tomilho seco.

Depois cortei grosseiramente duas cebolas e meio pimentão médio, e coloquei vários (vários mesmo) dentes de alho amassados com um murro, uma faca e com casca e tudo.

Daí vinheram os líquidos, coloquei um tanto (era o final da garrafa, tipo dois dedos) de vinagre de arroz, q acho bem mais suave q os outros, e suco de duas laranjas.

Enrolei bem enrolado em plástico filme, agora é um tal de 48 hs, chacoalhando de vez em qdo e virando de ponta cabeça hoje a noite, amanhã desvirando, e depois de sábado digo como ficou…

Abraço pra todo o mundo, Berna

Anúncios
h1

ARROZ NO OCTOPUS

outubro 22, 2007

polvo.jpg

O lance deste preparo é não deixar os ingredientes desmancharem no cozimento. SALVE A COR E A TEXTURA!

Abra um tinto seco, pra começar os trabalhos. Guarde a rolha.

Essa é Pra 2. Se for pra mais gente, faz a conta de vezes que tá tudo certo…

Imagino que você comprou 1 polvo fresco e limpo para fazer este prato.

 

Numa panela de pressão, coloque:

1 cebola, 1 alho poró, 1 cenoura e 1 cabeça de alho – tudo cortado grosseiramente. Acrescente ainda algumas folhas de louro, 1 amarrado de tomilho fresco e 1 pé de cebolinha.

Ponha o polvo em cima, cubra com água, jogue a rolha do vinho dentro e tampe a panela. Cozinhe por 17 minutos.

Não discuta isto: a rolha e os 17 minutos.

 

Tire a panela do fogo e bote embaixo da torneira até poder abri-la. Retire o polvo e use este caldo, coado é claro, para fazer 1 xícara de arroz da sua preferência. Pode até ser um risoto básico, mas não precisa.

 

Desconjunte o polvo e raspe a pele dele com a ponta da faca. Vai ficar a carne branquinha. Aqui e acolá pode fazer vista grossa e deixar um pouco das ventosas. Um pouco é bom.

 

Noutra panela, refogue rapidamente e acrescentando nesta ordem:

1 cebola cortada em gomos, 1 dente de alho fatiado e 2 folhas de louro;

1 pimentão vermelho e 1 pimentão amarelo cortados aos triângulos;

2 tomates cortados em gomos.

Junte o polvo cortado em pedaços e tempere com sal, cominho e tomilho.

Deixe reduzir um pouco e regue com o vinho tinto. Coisa de 1 copo. Tampe a panela e abaixe o fogo, não deixe cozinhar muito. Não queremos que fique tudo muito mole…

 

Junte o arroz (se for risoto faça o contrário), mexendo devagar, e aproveite para corrigir o tempero. Se estiver secando muito pode acrescentar mais vinho. Quando sentir o negócio a ponto de servir, regue com um pouco de leite de coco (tipo 1/2 copo). Apague o fogo, cubra com coentro fresco desfolhado, tampe a panela e deixe apurar 5 minutinhos.

 

Sirva acompanhado de uma bela pimenta. E cachaça!

 

m.

h1

Salada Picante de Mamão Verde com Carambola e Camarões

outubro 14, 2007

Tem uma salada que volta e 1/2 faço aqui em casa que é totalmente Porto. Salada de casa de praia. Praia com acento thai.

mamao.jpg

Passe um mamão verde num ralo grosso. Evite a casca e as sementes;

Corte alguns tomates cereja em gomos;

Fatie 1 carambola em estrelas !);

Junto tudo numa saladeira e reserve.

 

Passe o camarão rapidamente em um caldo de peixe fervendo. Eu costumo usar Hondashi. Retire o camarão com uma escumadeira e acrescente ao caldo umas 2 folhas de capim-limão amassadinhas. Eu já usei erva-cidreira e rolou bem.

Abaixe o fogo e raspe a casca de 1/2 limão sobre o caldo. Apague o fogo.

Junte o suco da metade do limão e um nada de shoyo. Deixe esfriar.

Coe este caldo sobre 1 pimenta dedo-de-moça – sem as sementes- bem picada e tempere com sal fino e azeite.

Use para regar a salada com o camarão por cima e desfolhe sobre tudo, bastante coentro fresco.

Eu tomo cachaça para preparar e cerveja gelada para acompanhar!

m.

h1

O TAHINE

setembro 16, 2007

O Tahine é uma pasta feita de sementes de gergelim muito usada na cozinha do Oriente Médio e na daqui de casa.

tahine.jpg

Do tahine faz-se o Taratur:

2 colheres se sopa de tahine / 1 dentes de alho socado / suco de ½ limão / 1 colher de azeite / sal e pimenta síria a gosto.

Misture o tahine, o alho e o limão. Vá batendo e acrescentando água gelada aos poucos até a consistência que você desejar, a depender do uso que você vai fazer dele. Salgue e apimente. Bote o azeite.

 

Do taratur faz-se Hummus:

2 x a receita de taratur acima / 1 latinha de grão-de-bico Bonduelle.

Faça o taratur em consistência de patê. Bata tudo no liquidificador, corrija o sal e o azeite.

 

Faz-se também Baba ganoush:

A receita de taratur acima / 1 berinjela grande.

A beringela é primeiramente assada no forno ou queimada diretamente no fogo (tem gente que gosta do queimado e gente que não. Eu gosto). Depois, retira-se a casca e mitura-se seu interior com o taratur em consistência de patê.

Em nossa casa fazemos taratur para quase qualquer coisa:

Ralinho é um molho perfeito para saladas cruas.

Um pouco mais consistente serve para mergulhar legumes grelhados ou regar uma couve-flor cozida “al dente” no vapor. Foda!

Mais consistente um pouco e podemos assar carne, frango ou peixe com ele por cima.

 

E tudo isso aí se come com pão árabe, aqui usamos o integral, e coalhada fresca comprada no super.

 

m.

h1

Salmão Marinado Com Manga

setembro 7, 2007

mangas.jpg

Não, Berna! Não é para limpar a boca na manga da camisa depois de comer o salmão.

 

Corte o filé de salmão e a manga em pedaços + ou – do mesmo tamanho, e ponha em um recipiente. Junte o suco de ½ limão e tempere com sal fino. Deixe na geladeira, coberto, por pelo menos ½ hora.

Perto da hora de comer, pique bem um tanto de coentro fresco, cebolinha e ½ pimenta dedo-de-moça (evite as sementes).

Retire o salmão da geladeira, acrescente a pica (o que você acabou de picar, né Bolo?) e um pouco de vinagre balsâmico e então regue de um bom azeite.

Sirva com uma saladinha de folhas.

m.

h1

Domingão, vontade de ficar em casa, futebol na TV, cerveja gelada e um belo rango!

setembro 2, 2007

tv-de-cachorro.jpg

 

O FRANGO ASSADO

TV de cachorro é o melhor, mas pode ser o famoso “galeto fuligem” também. Leve para casa um franguinho bem gordo e ainda meio cru. Na verdade queremos terminar de assar ele lá.

Soque, num pilão, alho, sal grosso, pimenta do reino e semente de coentro e esfregue bem o danado com a mistura.

AS BATATINHAS

Escolha batatinhas inglesas pequeninas e bem redondinhas. Lave bem e enxugue.

Para assar, pense num lance tipo uma grelha sobre um tabuleiro. Na grelha você coloca o frango e no tabuleiro as batatas.

Ponha no forno para assar, de modo que a grelha deixe escorrer a gordura do frango para onde estão as batatinhas.

O espírito da coisa é que elas vão assar regadas por esta gordura impreguinada do tempero. Fica alucinante!

A SALADA

O abacate é aquele “de vez”, sabe? Já maduro, porém ainda bem firme, assim como este que vos escreve.

O palmito eu recomendo o de açaí. Um vidro deste de supermercado. Não economize!

O segredo desta salada é a delicadeza. E uma faca bem afiada. Coisas que se complementam. Naturalmente.

Corte o abacate ao meio longitudinalmente e depois cada metade de novo no mesmo sentido. Você terá então 4 gomos e o melhor momento para retirar a casca do bicho. Normalmente a casca se solta facilmente e a polpa fica inteirinha. Corte todo o abacate em fatias da largura do seu dedo indicador e arrume numa travessa de forma que elas não se sobreponham muito. Não pode amontoar tudo.

Lembre que você já deixou o palmito escorrendo numa peneira enquanto trabalhava no abacate. Agora pegue cada pedaço e parta ao meio no sentido transversal e de novo, desta vez diagonalmente. Cada pedaço que vem no vidro vira 4, todos eles com um lado reto e outro chanfrado. Arrume na travessa todos “em pezinho” com o chanfro para cima, lógico!

Polvilhe tudo com sal fino sem exagerar e reserve um pouco. Enquanto isto, esprema um limão em uma cumbuca boa para bater com garfo e vá adicionando o melhor azeite disponível em fio e sem parar de bater. É lindo! Isto vira uma emulsão cheirosa e gostosa que vai regar a salada e fazer as papilas gustativas se excitarem.

FINAL

Dependendo da companhia talvez vocês tenham que juntar a fome c/ a vontade de comer, mas segure a onda mais um pouquinho. Tudo bem, neste caso, abrir mão do futebol, mas lembre da cerveja gelada!

Retire o galetinho do forno, jogue numa travessa junto com as batatas e sirva acompanhado da salada. No chão em frente a TV.

m.

h1

muito amor e cuscuz

agosto 23, 2007

bodega.jpg

Ele.

Porque o amor tem um gostinho árabe e é simples e baratinho:
1 pacotinho de fubá de milho. cuscuz. Eu recomendo milharina. 1 cebola, 2 tomates, 1 pimentão vermelho e 1 amarelo, 1 bom maço de agrião. Alho, coentro e cebolinha. Eu escolho como se fosse ter que comer ali, na hora. Vai precisar também de louro, sal, de preferência grosso, páprica picante , manteiga e azeite- não economize nisso.Músculo de boi. 1 bandejinha daquelas do supermercado, já limpo e cortado.

Abra uma cachaça. A cachaça é fundamental. Costumo tomar as mineiras, de salinas preferencialmente. 1 só copinho. O amor divide.

Na panela de pressão: a manteiga, o azeite, o louro, a cebola cortada em pedaços grandes e o alho. Deixa dourar e põe o músculo, a páprica e o sal. Refogue um pouco, jogue cachaça e deixe reduzir. Sobre tudo arrume o tomate cortado grosseiramente, o cheiro verde picado do mesmo modo e o maço de agrião. Feche a panela. Vai cozinhar em fogo baixo coisa de 1 hora.

Até aqui a tia do boteco ensina, agora que é a mágica. Já fez cuscuz? O segredo é acertar na mosca uma alternância entre molhar o cuscuz na medida certa, descansar o cuscuz, entre uma molhada e outra, o tempo certo, e dar o número certo de molhadas.

Simplesmente: jogue mais ou menos 1 xícara do fubá num recipiente bem côncavo e acrescente umas duas ou três pitadas de sal. Vá molhando aos pouquinhos e misturando com os dedos delicadamente. Não deixe encharcar. Eu abro a torneira bem pouquinho e vou misturando debaixo dela até sentir que o cuscuz está todo molhado mas ainda não virou pasta. Deixe descansar um pouco, sei lá uns quinze minutos, ele vai ficar mais fofo e maior. Solte com os dedos e repita a operação. Cuscuz exige delicadeza.

Ponha na cuscuzeira o mais soltinho que puder e cozinhe em fogo brando até que o cheiro invada todo o lar. Quem não tem cuscuzeira põe o cuscuz num prato fundo, cobre com um pano de prato grande, vira de cabeça pra baixo e amarra. Acha uma panela em que isso encaixe feito uma tampa. Cuscuz pra baixo. Põe um pouco de água na panela e fogo baixo até que o cheiro etc…

Já viu olhinho brilhar?

Vai pra mesa o músculo sobre o cuscuz. Mas isso logo perde a importância como no amor.

Ela.

m.