Posts Tagged ‘Picanha’

h1

Picanha de forno sobre farofa com purê de ervilhas e wasabi

novembro 27, 2008

2008_11-visita-dos-vieira-073-large-nacozinha11

Essa aí lembrou as antigas. Jam session total na cozinha, partiu de um momento criativo na semana passada (por conta dos temperos q compramos no Mercado Público de Sampa) e juntando com a leitura de um dos quitutes q constam na lista dos 100 postada abaixo…

Vamo lá, domingão de ressaca, mais de cansado q de birita, depois dum sabadão tentando participar de todos os eventos q apareceram, mas fechando com chave de ouro numa janta espetacular com os amigos (q jájá deve render um post aqui…).

Passamos, eu e Tatty, no supermercado e compramos:

uma picanha,

um pacote de bolacha integral,

um saquinho de castanha de caju,

um saquinho de queijo parmesão ralado grosso,

um saco de ervilha congelada,

um pote de manteiga

e um mói de agrião, bem bonito q achei por lá

alguns salgadinhos e um pote de sorvete Crunch (…já provaram esse…, …meirmão!!!)…

Levava comigo um sal grosso q temperei com umas ervas q comprei lá no mercado, q diz, “Tempero p/ cordeiro, cabrito. Ingredientes: alecrim, alho, cebola, hortelã, pimenta calabresa e sálvia”,

junto com o sal botei azeite trufado e deixei de um dia pro outro tentando agregar sabores, também misturei um tanto de Wasabi com o Bahar (todos do mercado) e reservei.

Fomos visitar minha sobrinha Malu, q fazia umas duas semanas q eu não via, tá grandona e rechonchuda a pirráia…

Chegando lá eu começaria a fazer o rango pois a rapasiada tava com fome (Reco q o diga…), mas Guto tinha preparado umas “Asas de Búfalo”(?) q tavam show (tem q postar aqui também) e agente saboreou acompanhado com umas Brahmas Extras estupidamente geladas (melhor cura pra ressaca não há!)…

Depois fui pra cozinha daí começamos o preparo.

Peguei a peça de picanha, passei a mistura de sal nela enquanto esquentava bastante a frigideira. Depois comecei a selar a carne, primeiro pela parte da gordura e depois o resto. Enquanto isso Tatty ia passando a bolacha, a castanha no liquidificador, e misturando com o queijo e a manteiga, fazendo uma massa.

Eu coloquei as ervilhas pra cozinhar em água e sal e deixei uns 8 minutos (+ou-) e misturei água com o wasabi, deixando até um pouco mais aguado q o normal.

Acendi o forno em 180 pra esquentar enquanto selava a carne.

Qdo a massa ficou pronta forrei o fundo da assadeira untada e prensei até ficar compacta.

Com a carne selada (bem selada mesmo, casquinha preta em alguns locais), coloquei com a gordura pra cima na assadeira e mandei pro forno, acho q o forno não tava devidamente quente, daí ela ficou uns 25 minutos lá, mas acho q se esquentar o forno corretamente antes o tempo é menor.

Enquanto isso Tatty dava um trato nas ervilhas, passando no liquidificador com um tiquinho de creme de leite e depois misturando com o wasabi e algumas ervilhas inteiras q eu tinha reservado.

A minha intenção no início era q a massa no fundo da assadeira ficasse feito um biscoito, mas não consegui dessa maneira, ela ficou mais pra uma farofa mesmo, mas bem gostosa e crocante. Servimos com uma salada de agrião, arroz bem soltinho de Dorinha e um penne q Guto disse q ia postar poraqui também. Segundo mamãe o penne com a farofa tava show.

Todo mundo gostou e inclusive papai q não é lá dessas novidades aprovou geral o purê de wasabi com a carne e a farofa.

Valeu, beijos e abraços e até mais…

OBS: esse purê de wasabi veio na minha cabeça no momento q li aquela história de “wasabi peas” nº 31 na lista dos 100, mas depois constatamos q se trata de uma receita totalmente diferente q testaremos adiante…

Anúncios
h1

Picanha e Maminha no forno com molho de Sardinhas Anchovadas

abril 22, 2008

Bom, como sempre não anotei os tempos e quantidades, mas acho q no final das contas esse blog é pra isso mesmo, dar o mote e, na sequencia, as novas tentativas das receitas vão aprimorando o preparo.

Tinha uma peça de picanha aqui em casa pra fazer pra Melissa (hospede americana, amiga de Suzana, irmã de Tatty q mora no Oregon-EUA). Ela odeia qualquer coisa do mar e adora carnes. Ainda não apresentamos mas, antes dela ir embora, agente vai levar ela pra comer um Bode Guizado tradicional de nossa terra, de preferencia acompanhado de cuzcuz ou macaxeira..

Nesse feriado 21 de abril, veio uma rapasiada maior aqui pra casa e daí agente comprou mais uma peça de Maminha. Q em alguns preparos no forno poraqui, anda ficando mais suculenta e saborosa q a picanha. Cortei ambas as peças em dois e coloquei os 4 pedaços numa salmoura com, uns 4 dentes de alho picados grosseiramente, umas 8 mini cebolas cortadas em 4, pitadas de cuminho e cobri com vinho. Nesses meus últimos testes tenho colocado o cuminho pois pra mim ele tem amenizado o sabor do vinho no molho. Não gosto qdo o molho fica com aquele gosto de vinho, mas também acho q cuminho demais numa carne de forno é desnecessário. Cuminho de mais somente naquele bode guizado clássico.

Após algumas horas e qdo a picanha descongelou totalmente, esquentei bastante uma frigideira e comecei a selar a carne. Coloquei os pedaços aos poucos pra num juntar água e pra formar aquela graxinha no fundo da frigideira. Demorou pois selei quase todos os lados, bem selado, quase ficando preto de queimado. E sempre começo a selar com a parte da gordura depois os outros lados.

Ah, ia me esquecendo, um dos pontos primordiais: das outras vezes q fiz desse jeito, já colocava o sal na salmoura, e como utilizava a salmoura pra soltar a graxinha da frigidira até reduzir o caldo, o molho sempre ficou bastante salgado. Dessa vez tirei a carne da salmoura e passei bem pouco sal grosso em todo o pedaço e sempre eliminando o excesso, pra depois selar.

Bom, durante o selamento coloca o forno pra aquecer em +ou- 205 graus. Depois de selada, coloca a carne numa assadeira, sempre com a gordura pra cima e manda pro forno. Como selei bastante e cortei as peças em dois pedaços cada, o tempo de forno ficou em torno de 30 min. A carne ficou com um visual show. Depois de alguns tempos, agente tem adquirido o costume de sempre desligar o forno um tempo antes de servir a carne, deixar o cozimento interno da carne dar uma baixada e servir em seguida, acho q uns 5 a 10 min antes. Desse jeito o sangue em vez de evaporar fica mais e qdo vc corta tem logo auela visão do paraiso.

Enquanto a carne tá no forno, coloquei a salmoura na frigideira e com uma colher de pau raspei a graxa do fundo, mantive o forno alto até ferver, depois baixei o fogo e esperei o caldo reduzir, mais ou menos na metade do processo de redução coloquei as sardinhas anchovadas pra derreter no caldo, foi metade do copinho.

Isso acompanhado de uma massa bem fina aldente, fica um show. Coloca o molho em cima e pronto.

Tatty ainda fez um purê de batatas e arroz pro acompanhamento. E depois agente comeu um bolo de chocolate q ela tinha feito junto com um mousse de limão q Tati e Paulinha trouxeram.

Junto com o Pudim de Salmão q Tati fez de entrada, esse Bolo (q Tatty bota uns chocolates Talento no preparo) e o Mousse de Limão merecem um espaço reservado aqui no naCozinha.

Antes de me despedir e emtempo, um pouco dessas sardinhas anchovadas amassadas grosseiramente com um bom azeite e acompanhadas com um pão portugues pra melar, é um tiragosto pra acompanhar qualquer tipo de birita.

Valeu, abração, Berna