Posts Tagged ‘Pão’

h1

Pão com Nata

maio 19, 2008

Esta receita facílima eu já comia quando criança, na casa da minha avó, e adorava… Hoje costumo fazer com algumas adaptações (um pão melhor, um queijo melhor). Fica bem de entrada, com uma boa salada verde, pra petiscar com um bom vinho ou uma cerveja gelada. Sempre que faço pros amigos, todo mundo aprova, mesmo quando eu queimo uma fornada (sou craque em desastres culinários).

Você vai precisar de de um bom pão (gosto do tipo bola, italiano ou português) cortado em fatias nem muito finas, nem muito grossas. Uma cebola média ralada, dois pacotes de parmesão ralado e um pote de nata. Nata mesmo. Do leite da vaca. Aqui em Recife se encontra nos mercados. O de Casa Amarela e o da Madalena sempre tem, a não ser quando está faltando.

Num recipiente, você mistura o pote de nata, a cebola ralada e um pacote de queijo ralado. Com garfo mesmo. Coloca as fatias de pão numa forma e passa este creme por cima. Polvilha o outro pacote de queijo ralado por cima, como quem faz pra gratinar. Depois é só colocar em forno alto, pré aquecido, até a nata e o queijo estiverem bem douradinhos. Não sei o tempo. Presta atenção pra não queimar!

Bom apetite, Ceó.

h1

POLVO AO VINAGRETE DE LÚCIA

janeiro 9, 2008

igja-de-carneiros.jpg

(Foto do blog http://viajenaviagem.wordpress.com/, de Ricardo Freire). 

Rapaz, este blog tá devagar quase parando, hein?!?

Tá bom de 2008 começar por aqui!

Por isto, vou postar uma receita que foi o sucesso do sucesso na temporada de fim de ano lá na praia dos Carneiros. Na verdade, a seqüência de quitutes era de ver cores, plânctons e estrelas! Desde as mariscadas de Ricardo, Ditinh e Nanda, passando pela Carne de Sol de Jacinto, feita por Tati, até todo o resto feito por Lúcia e pelos demais que se aventuraram na “imensa” cozinha de Zu!

Que saudade!

A receita em questão – POLVO AO VINAGRETE – é de Lúcia, moradora do Sítio São Benedito, lá da beira-mar dos Carneiros, e que, neste final de ano, arrasou muito nacozinha! O POLVO AO VINAGRETE foi uma unanimidade! Não tentei fazer ainda, mas, pelo que Lúcia fala, não parece ser complicado… Será?! Ou será que tem que ser nascida e criada ali na beira do mar para se garantir como ela?!

Bem, ela me contou o seguinte:

Primeiro, tem que limpar o polvo. Para tanto, ela me explicou que abre o bicho e tira uns pontos pretos que ficam entre a cabeça e os tentáculos.

Depois, coloca ele INTEIRO no fogo, com uma cebola inteira e com água, quase cobrindo o danado, e deixa cozinhar por uns 40 minutos em fogo brando.

Em seguida, é só cortá-lo em cubinhos, pedacinhos pequenos como os de um molho vinagrete de churrasco, acrescentar o vinagrete em si (cebola, cebolinho, coentro, tomate, vinagre, azeite e sal) e priu, tá pronto o polvo ao vinagrete mais delicioso (o dela) do litoral tupiniquim!

Puro, com pão francês ou mesmo com vitarella (kkkk) é simplesmente “dos deuses”!

Quem testar primeiro, bloga aí o comentário! Beijos, Sandra

h1

Pesto, Queijo de Cabra, Maçã….

setembro 24, 2007

No casamento de nossos primos Lule e Cat, no mês de agosto deste ano de 2007, lá na casa de Trude, Claudinha e Silvinha, tinha, entre tantos outros quitutes, um daqueles sanduiches frios, feitos com pão de caixa cortado em fatias longas e horizontais…. era simplesmente o pipoco! A receita foi criada por Trude e o diferencial é que, ao invés de usar maionese para cobrir todo o pão, usa-se pesto…. Fica delicioso! E não é só este o segredo do sucesso!

Sábado passado, peguei a receita com ela e, junto com meus auxiliares de cozinha, Tiago e Rosinha, ao som de otto, pedro miranda e secos e molhados, com umas cervas geladas, fiz o pão para levar para casa de Ana e Lula, onde rolou uma prévia para festinha do Eu Acho é Pouco. O pão fez sucesso! Vamos à receita..

Compra pão de caixa, já cortado especialmente para este tipo de “sanduba”. As camadas de recheios, entre as fatias, são de pesto, maçã cozida e queijo de cabra. Para o Pesto: 60gr de manjericão, só as folhas; 120 ml de azeite; 2 dentes de alho amassados; 2 col. sopa de pignoli ou castanha do pará (triturada) (usei a nossa brazilian nut); e 1 col. chá de sal.  Bate tudo no liquidificador. Depois, acrescenta 45 gr de manteiga derretida e 50gr de parmesão ralado na hora, mexe e está pronto (Se quiser fazer mais pesto do que o necessário para receita, pode congelar na boa, só é deixar para acrescentar estes 2 ingredientes finais quando for usar).

Outro recheio é de maçã: a argentina, segundo Trude, é melhor, pois a nacional é mais aquosa.  Eu usei umas 3 maçãs, salvo engano. Corta em fatias finas e sem casca. Unta um tabuleiro com manteiga e coloca as fatias.Por cima, salpica manteiga em pedacinhos  e leva ao forno ou fogo, até que cozinhe. O resultado é meio um doce de maçã, o tabuleiro, aliás,  fica com um caramelo no fundo. As maçãs não chegam a se desmanchar. Algumas, ficaram bem moles e outras, por sua vez, já meio tostadinhas.

O terceiro e último recheio é de queijo de cabra. Usamos mais ou menos 250gr. Machuca e amolece com requeijão comum, quase um copo todo.

Com os 3 recheios prontos, começa a montagem. Forrei o prato com folhas de rúcula, que ficaram meio que saindo para os lados da travessa e fui colocando as fatias do pão em cima. Antes, umedece uma a uma no leite com sal e pimenta. Coloquei os recheios na ordem pesto, maçã e queijo de cabra. Nas camadas com o queijo, ainda coloquei pedacinhos de nozes. A última camada tem que ser de pesto, que, aliás, é a cobertura do pão todo, inclusive para as laterais.  Para finalizar, joguei o restante das nozes.

Antes de servir, deixa na geladeira. O pesto escurecerá, é inevitável, pois oxida quase que imediatamente.

 Bom apetite!

Sandra