Archive for the ‘Lanche’ Category

h1

Uma Bossa no Café da Manhã

abril 29, 2011

Quer preparar um café da manhã especial para alguém especial? Começe com esta sopa gelada e refrescante. É fácil e fica uma de-lí-cia!

Para duas pessoas, coloque um mamão médio maduro no liquidificador. Acrescente suco de laranja, eu usei já pronto, aquele dos gominhos. Um copo mais ou menos. Na verdade vai depender do mamão, se estiver bem maduro, precisa de  menos suco. O importante é ficar com a consistência de uma sopa grossa. Coloca o suco aos poucos e vai testando.

Divida o conteúdo do liquidificador em dois pratos de sopa, e coloque uma bola de sorvete de creme generosa em cada um. E tá pronto. O verdinho em cima do sorvete é Endro, ou Dill. Foi pra fazer uma bossa na foto. Ficou bom, mas não é nescessário.

Por mim, eu comeria uns quatro pratos, mas aí o romantismo vai pras cucuias. É muuuuuito bom também pra uma ressaquinha… E crianças devem gostar bastante. Com ou sem ressaca.

Bom apetite!

Ceó Pontual.

Anúncios
h1

PIQUINIQUE

junho 30, 2010

Aqui no Recife, no primeiro semestre, fiz dois piquiniques no jardim externo da Oficina Francisco Brennand, com direito a queijinhos, uvas, cerveja (sem cerveja, Vans não vai!) etc; no dia da sessão de fotos de Joana, mãe de Antônia, o sortimento foi ainda maior e tivemos espumante!!! Antes disto, no passado, em Madri, no parque Buen Retiro, ainda no verão quente da Espanha, fizemos um ótimo piquinique Eu, Rosa, Paulinho, Fernando, Rabu, Marisa e mais uns amigos argentinos de s. Paulinho, com direito a “tinto de verano” e também aquele queijo da embalagem vermelha, que eu, emlpogada e relaxada deitada que estava na grama, comi com plástico e tudo, para deleite de alguns… (peona!)…

Por agora, imagino que o pessoal de Madri já deve tá bombando nos piquiniques e nós aqui, coitados, só tomando banho de chuva… (faz mal não, há menos de um mês, fiz muuuito piquinique em Paris, tá?! E no jardim de Monet tb! Lá, do lado de fora, vale registrar, pois dentro não pode). Mas sempre com toalha xadrez, que eu levei daqui especialmente para… :):)

Bem, hoje, por acaso, no blog de Katsuki, da folha.com, li um post sobre piquiniques e já fiquei com vontade de repetir a dose lá em Brennand ou onde quer que seja!

Segue a dica:

“GOSTOSO COMO A VIDA TEM QUE SER

Nesse finde fizemos um piquenique no parque e foi super divertido. Primeiro, porque a bagunça já acontece durante a semana, definindo qual o parque e o que levar. A única coisa certa: espumantes e sucos de laranja e pêssego, para uma Mimosa ou um Bellini na grama.

E para comer? Optei por sanduichinhos, que dá para deixar pronto e são práticos e gostosos. Mas como sempre tem de ter um fricote, fiz um tramezzini, que conheci em Veneza, e dois sanduiches eduardianos, que vi na TV mesmo. E sabe que ficaram ótimos? Modéstia à parte, posso dizer que foi o melhor acepipe homemade da tarde. É que o povo comprou tudo pronto, rsrs!

Tramezzini
É um club sandwich ‘italianado’, mais elegante e muito saboroso. O segredo? Parece bobagem mas são as fatias de presunto, que deve ser bem finas! E o pão de forma não ter casca. Faz diferença!

Passe maionese na face interna dos pães ‘com vontade’ e recheie com 3 a 4 fatias de presunto fino, 4 rodelas de ovos cozidos já resfriados e pimenta do reino. Guarde na geladeira coberto com um pano, para não ressecar.

Sanduíches ‘eduardianos’
São aqueles cortados em retângulos compridos, nunca em triângulos. Precisam ter o formato de ‘fingers’ (dedos) e geralmente usam manteiga e cream cheese no lugar da maionese. Eu usei maionese pq quis deixar o pão mais úmido. Também usam pão de forma sem casa.

Sanduíche de ovos
Cozinhe 3 ovos e amasse com um garfo. Adicione 1 colher de sopa de maionese, 1 colher de sobremesa de mostarda, salsinha picada, sal e pimenta. Faça uma pasta e recheie os pães.

Sanduíche de pepinos
Descasque 3 pepinos japoneses, fatie finamente e tempere com 1 colher de sobremesa de sal. Deixe escorrer numa peneira por 10 min e esprema para retirar o suco. Passe manteiga sem sal na face interna dos pães e recheie com o pepino. A combinação parece estranha, mas fica ótimo.
Outra opção gostosa: junte 1 colher de sobremesa de maionese, 1 colher de chá de wasabi e misture com o pepino. Recheie os pães, mas nesse caso, sem a manteiga. O wasabi dá um toque picante e refrescante ao sanduba. Vai lá.

http://marcelokatsuki.folha.blog.uol.com.br/

Beijos e queijos (sem cera ou plástico),

Sandra

h1

SANDUBAS

junho 8, 2009

Navegando na interneta um dia desses, encontrei umas receitas de sanduíches, todos supostamente lights….
Amo sanduíches e resolvi replicar as receitas aqui para outros amantes do bom pão com queijo, carne, presunto, manteiga e açúcar, ovo (o velho “povo”), e por aí vai:

 
Rosbife e raiz-forte
Prepare com 1 colher (sopa) de maionese, 1 colher (sopa) de raiz-forte preparada, 115 g de rosbife, peito de peru, peito de frango ou presunto magro e duas fatias de 30 g de pão integral.

Atum
Prepare o sanduíche com 115 g de atum em lata (light) escorrido misturado a 1 colher (sopa) de maionese e 1 colher (sopa) de suco de limão. Adicione 30 g de aipo (salsão) ralado, 40 g de cebola picada e 1 colher (sopa) de ervas. Sirva em duas fatias de 30 g de pão de centeio.

Ovo com salada
Para comer um sanduíche de ovo com salada saudável, misture 1 ovo cozido picado, 2 gemas cozidas picadas, 1 colher (sopa) de maionese, 25 g de aipo (salsão) picado e 1 colher (sopa) de salsa picada. Passe a mistura em duas fatias de 30 g de pão integral.

Queijo roquefort e nozes
Este recheio sofisticado pode ser consumido, desde que não se exagere na quantidade. Misture 1 colher (sopa) de leite desnatado com 30 g de queijo roquefort. Espalhe em duas fatias de 30 g de pão integral e adicione 1 colher (sopa) de nozes picadas e 1/2 maçã fatiada.

Sanduíche de camarão
Pique 115 g de camarões limpos e cozidos junto com 30 g de aipo (salsão). Misture com 1 colher (sopa) de maionese e 1 colher (sopa) de suco de limão. Passe em duas fatias de 30 g de pão de centeio.

Beijos
Sandra

h1

FESTIVAL DO ACARAJÉ!!!

fevereiro 12, 2009

Minha gente, tinha visto uma vez num programa de tv uma insinuação de uma caixa q tinha um pó pra fazer a massa do acarajé, mas passou batido.

Qdo Tatty foi na Bahia pedi pra ela dar uma procurada por lá, ela de primeira me disse q  não existia isso. Mas insisti, como sempre impregnando.

E num foi q ela achou e ainda trouxe uma caixa com um pó de vatapá. Daí marcamos de fazer um dia o festival do acarajé aqui em casa.

Não botamos muita fé naquela novidade, achando inclusive q não ia dar certo mesmo. Mas fomos em frente e acrescentando alguns adicionais pra incrementar o bagúio.

E pra surpresa de todos ficou bom demais, até porque confio nos especialistas em acarajé q compareceram ao evento (Valentina, Jorge, Ricardo e Lucas Solano Trajano Du Peixe q degustou por tabela), além desse q escreve e da chef Tatty. Clarice, Daniela e Dona Adriana não comeram.

Além de seguir as recomendações da caixa (que inclui uma malhação de 15 minutos pra misturar a massa) fizemos o seguinte:

Compramos o óleo de dendê no mercado pra manter a origem. Fritamos nele além de acrescentar um pouco no vatapá.

acaraje2

As primeiras bolinhas não ficaram lá essas coisas, mas depois agente pegou a manha.

Batemos no liquidificador, amendoim e castanha de cajú pro vatapá e eu ainda dei uma torrada nessa farofa de amendoim e castanha com algumas cabeças de camarão e bati de novo, essa mistura agente acrescentou na massa do acarajé.

Tatty cortou bem pequeno cebola e tomate, e agente comprou 1 Kg de camarão pequeno e fresco, q eu dei uma assada no forno com bastante alho, azeite, sal e Tatty antes de servir passou na frigideira com um pouco de dendê.

acaraje1

Ah, Tatty ainda colocou uns camarões limpos no vatapá. Antes ela passou eles no azeite com Lemmon Pepper, reservando um pouco também pro recheio do acarajé.

Como acarajé é mote pra comer pimenta. Servimos com dois tipos de pimenta q tinha aqui em casa, todas bem fortes, uma mais roots, de bar, com a mistura cozida e batida, e outra de uma conserva q fiz, com louro, cachaça, azeite e um pau de canela. Todos acordaram q a pimenta roots tinha mais a ver com o acarajé.

acaraje3

Ricardo ainda trouxe uma assadeira com vários tipos de linguiça, avestrus, frango, etc acompanhadas de um molho q ele fez e q ficou muito show! Merece um post aqui.

Bom, então foi isso, e pra quem for na Bahia ou achar poraqui compre q vale a pena, economiza o trampo de descascar o feijão branco e com uns ingredientes a mais fica profissa de verdade. E agente tá com o óleo de dendê a postos.

Abraços, Berna

h1

Iogurte

novembro 6, 2008

iogurteFaz tempo que a minha família faz seu próprio iogurte.

Não sei de quem é a receita, nem quem começou a fazer, mas sei que esta receita é feita na casa dos meus pais, na casa de minhas tias e, também que, na temporada de verão familiar em Candeias, sempre tem iogurte pra todo mundo.

Aqui em casa resolvemos começar a fazer, seguindo a mesma receita, que, aliás, é super fácil de preparar. Fazemos sempre à noite, antes de dormir.

Ingredientes:

1 litro de leite

1 copo de iogurte natural (consistência firme)

4 colheres de sopa de leite em pó

Os ingredientes podem ser integral ou desnatado. Eu uso os desnatados.

Modo de fazer: Coloca o leite no fogo até ferver e depois deixa esfriaando até ficar morno. Em seguida, mistura tudo no liquidificador por um tempinho, até ficar homogêneo. Separa em copos, cobre com papel laminado e deixa descansar por uma noite. O ideal é deixar num local seco e não arejado, dispensa ou forno, por exemplo. Pela manhã, verifique a consistência e, se estiver firme, a receita deu certo. Coloque na geladeira para conservar e coma geladinho.

Use sua imaginação na hora de servir, utilize outros ingredientes, como geléia, granola ou nescafé; ou use como um molho para salada, misturado com sal, azeite e pimenta do reino.

Quando resolvi postar essa receita, procurei a origem do iogurte. Coloquei abaixo a definição do Wikipédia.

Aproveitem,

Bolo    

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O iogurte (do turco yoğurt, pronúncia [jɔˈurt], do adjetivo yoğun, “denso” ou “tornar denso”) é uma forma de leite em que o açúcar (a lactose) foi transformado em ácido láctico, por fermentação bacteriana[1]. É um líquido espesso, branco e levemente ácido, muito nutritivo e, por essa razão, muitas vezes é servido e mesmo vendido misturado com frutas, chocolate ou outro tipo de adoçante.

O iogurte é um alimento que tem origem nos Balcãs e, tal como outros produtos derivados do leite fermentado, como o leben árabe, o koumis russo, o jugurt turco ou o kefir caucasiano, remontam a milhares de anos atrás.

No entanto, a sua comercialização teve início a partir da constatação feita pelo médico Ilya Ilyich Mechnikov, premiado com o Nobel da Fisiologia ou Medicina em 1908.

O iogurte além de poder aumentar a longevidade, possui outras benéficas propriedades nutricionais, graças aos fermentos lácteos, como o Lactobacillus bulgaricus e o Streptococcus termophilus, aos quais se juntam o leite, depois de homogeneizado e pasteurizado. Devido ao facto de ser obtido mediante fermentação láctea, o iogurte é muito fácil de digerir, o que o torna o produto ideal para pessoas com problemas gastrointestinais. Contudo, não se esgotam aqui os benefícios deste alimento. Por exemplo o seu consumo regula o sistema imunológico, sem esquecer que se trata de uma excelente fonte de cálcio e, como tal, a sua ingestão é uma fonte de ajuda no crescimento das crianças.

h1

SANDUBA

novembro 1, 2008

 

Faz uns dias, comi um sanduíche delicioso na casa de uma amiga minha do trabalho. Hoje, na hora do almoço, me lembrei de pedir a receita para postar aqui no nacozinha. Ela me disse que aprendeu com uma amiga dela de SP, que disse ser um sanduba servido num restaurante de lá, cujo nome, todavia, ela não recordava.

Well, ela usa 1 pão ciabatta inteiro, dá uma levíssima/rapidíssima esquentadinha no forno, coloca fatias finas de queijo mozarela (era da normal, mas eu acredito que também deve ficar bom com a de búfala) e umas de tomate, sem semente, também finas. Para o molho, faz-se um falso pesto, batendo no liquidificador folhas de manjericão com um pouco de um bom azeite, sal e pimenta-do-reino. Espalha pelo pão, por cima do recheio e parte para o gran finale: A MORDIDA!

Ficou EXTRA!

Beijos e abraços apertados,

Sandra

 

Em tempo, enquanto postava esta receita, descobri que o ciabatta é um pão de origem italiana e tem este nome por se parecer com um sapato velho, uma pantufa….

h1

Sanduíche de Microondas

maio 12, 2008

Categoria: Lanche

Dificuldade: Facílimo

Tempo de Preparo: VaptVupt

Ocasiões: Fim de noite, madrugada, quando a fome bater…

Ingredientes: Basicamente, você pode inventar o seu com o que tiver na geladeira.

Esse da foto eu usei três fatias de pão de forma sem casca, requeijão, três fatias de presunto, queijo estepe ralado grosso, cebola fatiada, orégano e azeite. Neste eu não usei mas costumo fritar bacon em tirinhas pequenas e colocar por cima.

Modo de Preparo: Pega uma fatia de pão, passa requeijão, coloca uma fatia de presunto em cima, e depois o queijo ralado. Coloca outra fatia de pão em cima e repete. Depois mais um pão, requeijão, presunto e queijo. Por cima a cebola fatiada (como na pizza de calabreza) e óregano. Coloca no microondas pra derreter o queijo. É o tempo de encher um copão de gelo, abrir a garrafa de coca-cola e tá pronto. O pão fica molinho encharcado de requeijão. Quando tirar do microondas finalizar com azeite.

Eu faço essa receita desde adolescente. É fácil e um lanche gostoso. E pode ter infinitas variações… pode ser mais light ou mais gordo… mais popular ou mais gastronômico… depende da sua criatividade. Só acho que um queijo cremoso é importante pra impregnar no pão.

Beijos, boa larica. Ceó Pontual