h1

PIRÂMIDE DE BERINGELA

agosto 9, 2010

Dia desses, tinha um jantar na pauta e eu estava com vontade de fazer algo diferente, mas que não fosse trabalhoso, e sim rápido… Foi quando lembrei de uma receita que havia lido no querido blog de Katsuki, da folha.com: uma pirâmide de berinjela, tomate e queijo com vinagrete de manjericão. Resolvi e sugeri fazer a tal pirâmide para entrada, pois o prato principal, lagosta grelhada com molho de manga e curry, já estava decidido. Foi um jantar para Elza, uma amiga de Paris (sim, fui à Paris, deixei de ser rústica!), que estava de passagem no Recife. Tati estava encarregada das lagostas e eu fiquei com o preparo da entrada.

Os tomates comprados eram maduros e enormes, estavam lindos. Eram tão grandes que o raio da fatia do tomate ficou até maior do que a da berinjela, que, pela receita original deviam ser do mesmo tamanho, enfim, quem sabe na próxima vez…

A receita leva fatias de tomate, igual quantidade de fatias de berinjela e de queijo, que usei de cabra, mas já fui pensando numa versão light, com moçarela de búfala, e também em versões para quem não curte queijo de cabra, como Helena (“tem gosto cocheira de bode…”), com ementhal, gouda etc…

Pra fazer as pirâmides, precisa salgar as fatias de berinjela com sal grosso por cerca de 30 minutos e, em seguida, grelhar (fritar, sem tucanagem) as bichas com azeite numa frigideira, até a casca ficar cortável com uma colher. Na sequência, alga levemente as fatias de tomate e aí, numa assadeira untada com azeite, monta as pirâmides com a berinjela ou o tomate no fundo, nunca o queijo, intercalando as demais… Pode fazer apenas uma fatia de cada ingrediente ou, se tiver querendo comer uma coisa estilo Quéops, vai botando mais camadas. Deixei lá montado e quando tava pertinho da hora de servir, levei a assadeira ao forno quente por uns dez minutos (os tomates murcham e o queijo amolece).

O molho é um vinagrete de manjericão super fácil, que rega as bichas na hora de servir. Esse vinagrete, por sinal, deve ficar bem bom com várias outras coisas, ele é gostoso. A receita original leva também tomate seco picado, mas não tinha deste no dia do jantar. Assim, primeiro, separei um punhado de folhinhas de manjericão – minhas duas mãos juntas metade cheias –, e joguei numa frigideira com manteiga derretida e um generoso fio de azeite, onde eles ficaram uns poucos minutos, aromatizando a manteiga. Quando o cheiro do manjericão tava forte e ótimo, desliguei o fogo e, num recipiente a parte, misturei com os cubinhos sem pele e sementes de 1 tomate grandão, além de sal e pimenta do reino moída. Só não tinha mesmo o tomate seco picado (manda colocar quase mesma quantidade picada da do fresco, um pouco menos apenas, uns 80%), e ainda joguei um pouco mais de azeite, porque o vinagrete tava meio grosso.

Numa versão mais light, não faria essa aromatização da manteiga e colocaria apenas azeite, sem levar ao fogo… Mas que a versão gorda ficou boa, isto ficou!

Na hora de servir, logo que saíram do forno, coloquei as pirâmides em pratos individuais de sobremesa, com o vinagrete por cima de cada uma, e salpiquei ainda umas folhinhas frescas do manjericão, que havia separado antes de fazer o molho.

Fez sucesso e, além da versão mais light,  fiquei pensando que deve cair bem numa grelha, num churrascão, caso em que, obrigatoriamente, a fatia de berinjela ficaria na base, nunca a de tomate, tampouco a de queijo!

Até breve,

Sandra

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: