h1

Ragú de Maminha

abril 7, 2009

Oi, minha gente. Ontem me joguei na cozinha pra fazer um jantar pra Tatty, q passou um dia cheio de eventos q ela organizara na semana passada, e q, com a chuva q cobriu a cidade, estavam sob riscos iminentes de dar merda.

Pra ela relaxar, bombei na inspiração e comecei uma receita q inventei na hora e também tava afim de fazer a um tempo, o tal do Ragú.

Bom, tinha uma maminha q sobrou de um churrasco q morgou no domingo, a partir da confirmação da conquista do campeonato PE 2009 pela Coisa no Chiqueiro (e bote chiqueiro nisso, cenas horríveis prum fim de tarde do domingão). Notícia nada agradável…

Peguei a peça e temperei com diversos temperos q tinha aqui em casa. Acho q essa parte fica a gosto do freguês, com alguns específicos q ficaram presentes no resultado final como o COMINHO (vou colocar em maiúscula os mais destacados) e um CHILI MEXICANO SECO q tenho aqui em casa. Coloquei o sal grosso e esfreguei bem com a mão os temperos secos na carne.

Despejei 2/3 de um VINHO STA FELICIDADE q tinha sobrado aqui em casa, o adocicado dele fez bem pra receita. E deixei marinando por umas 3 hs na geladeira.

Esquentei bastante a panela de pressão e comecei a selar a maminha.

Selei até de mais…

Depois despejei a marinada soltanto a graxa do fundo da panela, e coloquei a mesma quantidade de vinho de água. Ainda acrescentei uma cebola inteira com CRAVOS enfiados nela (como Tati já fez num outro Ragú presente nesse blog).

Deixei por 40 min, baixando totalmente o fogo depois da panela começar a chiar.

Após os 40, tirei a carne desfiei e voltei ela pra panela q cozinhava agora destampada pra reduzir o molho.

Comecei a refogar 3 dentes bem grandes de alho, com um azeite trufado. Cortei (amassei, sei lá…) a cebola inteira e cozida com uns pedaços da carne, qdo os alhos douraram coloquei a cebola amassada.

Pinguei um pouco de vinagre de arroz, junto com umas 4 colheres de sopa de um MOLHO DE TOMATE APIMENTADO HUNT’S, q agente ficou fã aqui em casa. Enquanto fervia coloquei umas folhas frescas de hortelã e uma pitada de orégano seco. Deixei ferver mais um pouco e despejei na panela de pressão.

Reduzi mais e desliguei o fogo.

Tampei a panela e aguardei a chegada de Tatty. Esse tempo foi bom pro molho dar uma engrossada.

Cozinhamos um pouco de fusili e servimos. Tava muito bom!

Duas coisas engraçadas, o cravo aparecia de surpresa de vez em qdo durante a degustação e a pimenta foi aumentando dando uma bombada gostosa (como diria Serginho) no final do prato.

Tatty, depois de um dia longo de trampo, adorou a surpresa.

E pra mim, agora, é curtir a Copa do Brasil e o Brasileirão, sofrendo como sempre. Cada um com seus pobrema!

Parabéns ao Náutico pelos 108 anos, e saudações alvirrubras!

…abraços e beijos, Berna

9 comentários

  1. Que delícia de Surpresa.
    Mandou bem Seu Berna.
    Saudações rubronegras,
    paulinha.


  2. adoro que nas receitas de Berna sempre sobrou uma maminha, ou uma picanha, ou um pernil pra ele fazer as paradas…
    apesar de ñ topar a maminha fiquei imaginando que deve ter sido uma surpresa show uma comidinha assim depois de um dia de trampo, né Tatty?


  3. Rosinha, massa o comentário no arroz de gengibre. E a maminha sobrou porque, realmente, a festinha morgou depois do incidente do chiqueiro. E Guga e Felipa não iam dar conta das carnes não consumidas.
    Beijão


  4. Hoje tem mais…


  5. Menino, ainda bem que tem o nacozinha pra registrar as receitas porque eu mesma não lembrava mais como tinha feito o meu ragu!
    Rosinha, tb acho sensacional que Berna sempre tem uma maminha que sobrou. Mesmo quando não tem nada, sempre tem um pratinho de linguiça de bobeira na geladeira (ver receita de arroz integral com linguiça postada há uns tempos atrás por ele).
    Ragu é muito legal mesmo e pode ser feito de zilhões de maneiras; outro dia comi um, espetacular, de rabada, acompanhando um nhoque de mandioquinha. Foi no Trapiche Adelaide, em Salvador (Praça Tubinambás, n. 2, Av. Contorno. Fone: 71 33262211). Restaurante que sempre que vou à terra de Grampinho faço questão de visitar. Além de ficar num lugar lindo de morrer, tem uma comida massa. Foi lá onde comi as melhores e mais macias costeletas de carneiro de toda a minha vida, eram da Nova Zelândia, a propósito.


  6. Foi uma surpresa muito maravilhosa que eu tava precisando mesmo.
    Ficou muito gostoso🙂


  7. Eita, um ragú de carneiro deve ficar indignado, hein!?!
    Mas tem q falar português porque neozelandês nunca entendi. Acho q esse carneiro neozelandês bahiano deve vir lá das Catingueiras próximo a Patos-Sertão de PB…
    AEEEEEESSSSS…….


  8. Eita, tem um carneiro de catingueira esperando só uma boa ocasião!
    Adorei o post, amo surpresinhas assim como esta que Berna fez!
    Beijos
    Sandra


  9. Bolo, a receita tá aí, o carneiro existe e sandy adora uma surpresinha. Só não esquece de chamar a gente!



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: