h1

Picanha de forno sobre farofa com purê de ervilhas e wasabi

novembro 27, 2008

2008_11-visita-dos-vieira-073-large-nacozinha11

Essa aí lembrou as antigas. Jam session total na cozinha, partiu de um momento criativo na semana passada (por conta dos temperos q compramos no Mercado Público de Sampa) e juntando com a leitura de um dos quitutes q constam na lista dos 100 postada abaixo…

Vamo lá, domingão de ressaca, mais de cansado q de birita, depois dum sabadão tentando participar de todos os eventos q apareceram, mas fechando com chave de ouro numa janta espetacular com os amigos (q jájá deve render um post aqui…).

Passamos, eu e Tatty, no supermercado e compramos:

uma picanha,

um pacote de bolacha integral,

um saquinho de castanha de caju,

um saquinho de queijo parmesão ralado grosso,

um saco de ervilha congelada,

um pote de manteiga

e um mói de agrião, bem bonito q achei por lá

alguns salgadinhos e um pote de sorvete Crunch (…já provaram esse…, …meirmão!!!)…

Levava comigo um sal grosso q temperei com umas ervas q comprei lá no mercado, q diz, “Tempero p/ cordeiro, cabrito. Ingredientes: alecrim, alho, cebola, hortelã, pimenta calabresa e sálvia”,

junto com o sal botei azeite trufado e deixei de um dia pro outro tentando agregar sabores, também misturei um tanto de Wasabi com o Bahar (todos do mercado) e reservei.

Fomos visitar minha sobrinha Malu, q fazia umas duas semanas q eu não via, tá grandona e rechonchuda a pirráia…

Chegando lá eu começaria a fazer o rango pois a rapasiada tava com fome (Reco q o diga…), mas Guto tinha preparado umas “Asas de Búfalo”(?) q tavam show (tem q postar aqui também) e agente saboreou acompanhado com umas Brahmas Extras estupidamente geladas (melhor cura pra ressaca não há!)…

Depois fui pra cozinha daí começamos o preparo.

Peguei a peça de picanha, passei a mistura de sal nela enquanto esquentava bastante a frigideira. Depois comecei a selar a carne, primeiro pela parte da gordura e depois o resto. Enquanto isso Tatty ia passando a bolacha, a castanha no liquidificador, e misturando com o queijo e a manteiga, fazendo uma massa.

Eu coloquei as ervilhas pra cozinhar em água e sal e deixei uns 8 minutos (+ou-) e misturei água com o wasabi, deixando até um pouco mais aguado q o normal.

Acendi o forno em 180 pra esquentar enquanto selava a carne.

Qdo a massa ficou pronta forrei o fundo da assadeira untada e prensei até ficar compacta.

Com a carne selada (bem selada mesmo, casquinha preta em alguns locais), coloquei com a gordura pra cima na assadeira e mandei pro forno, acho q o forno não tava devidamente quente, daí ela ficou uns 25 minutos lá, mas acho q se esquentar o forno corretamente antes o tempo é menor.

Enquanto isso Tatty dava um trato nas ervilhas, passando no liquidificador com um tiquinho de creme de leite e depois misturando com o wasabi e algumas ervilhas inteiras q eu tinha reservado.

A minha intenção no início era q a massa no fundo da assadeira ficasse feito um biscoito, mas não consegui dessa maneira, ela ficou mais pra uma farofa mesmo, mas bem gostosa e crocante. Servimos com uma salada de agrião, arroz bem soltinho de Dorinha e um penne q Guto disse q ia postar poraqui também. Segundo mamãe o penne com a farofa tava show.

Todo mundo gostou e inclusive papai q não é lá dessas novidades aprovou geral o purê de wasabi com a carne e a farofa.

Valeu, beijos e abraços e até mais…

OBS: esse purê de wasabi veio na minha cabeça no momento q li aquela história de “wasabi peas” nº 31 na lista dos 100, mas depois constatamos q se trata de uma receita totalmente diferente q testaremos adiante…

4 comentários

  1. Rapaz,
    esta farofa deve ter ficado o tricho! vou repetir lá em casa qualquer dia.
    beijo
    Sandra
    ps. no domingo, tb curei minha ressaca acumulada da sexta e do sábado com umas cervejas… e piscina (YESSSSSSSS!!!!)


  2. a farofa forrou a assadeira simplesmente? pensei que podia ficar legal envolvendo a carne, como se fosse um empanado.
    ps. tb curei a ressaca (de dois dias, diga-se) com essa piscininha aí e umas stelas. rolou churrasquinho e lagosta com uísque que, apesar de salgada (botei sal grosso como se fosse pra churrasco e esqueci que seria na frigideira), tava legal. a propósito, qualquer dia vou fazer um post sobre lagosta porque todo mundo diz que não gosta tanto mas eu acho que o problema é a forma como ela é feita.
    bj.


  3. foi uma profuzão de sabores🙂
    tv uma delicia tudo, eu de ressaca, mas bebi cervejas, pois tava ficando chato toda vez que vou a casa de guto&reco to de ressaca e chatinha.
    tati eu não quero um post, quero ser convidada p. as lagostas, pois sou uma das pessoas que não vejo tanta graça nas bichinhas.


  4. Tati, já fiz essa experiencia de envolver a carne mas na hora do corte ela esfarela toda e vira, de novo, uma farofa, sacas? Como disse lá em cima a tentativa era de ser mais consistente, mas acho q tem q entrar mais alguma coisa tipo farinha de trigo e ovo derrepente, pra ver se vira uma massinha crocante.
    Tem um prato de lagosta, receita de minha mãe, um macarrão frio q é foda! Mas não curto muito a lagosta, prefiro várias coisas antes de me lembrar dela (camarão, peixes, polvo, ostra, carangueijo, e os ensopados, a lista é grande…)
    Beijos



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: