Archive for maio \23\UTC 2008

h1

Mousse de Salmão

maio 23, 2008

 

Vou postar essa receita antes que eu a perca de novo. É da Revista Gula mas experimentei pela primeira vez executada por meu primo Hélio Carlos Meira de Sá, o primeiro candango de verdade que conheci! A receita que se segue já está meio adaptada por mim, no que toca aos temperos, porque por aqui não tem os originais.

 

Para a mousse:

 

Um quilo de salmão, sem couro, nem espinha.

Uma cebola média, picada grosseiramente. Ervas de provance.

Ervas de provance são tomilho, alecrim e segurella, segundo o meu Pequeno Dicionário da Gula, de Márcia Algranti. Editora Record. Rio de Janeiro, 2000, página 491.

Aqui em Recife isso não existe. Não estamos na provance e o pessoal da redondeza não se liga no tomilho, que dirá na segurella.

Eu uso manjericão, alecrim, salsa, cebolinha, manjerona (bem pouquinho porque o gosto é muito forte) e o que mais nesse estilo tiver pra vender, desde que seja fresco.

Sal e pimenta do reino a gosto.

Um copo de vinho branco, seco.

Um pouco de azeite

Um copo, ou menos, de creme de leite fresco.

Um pacote de gelatina sem sabor.

200 a 300 gramas de salmão defumado.

Você vai precisar de uma forma grande pra essa quantidade de salmão.

 

Para o molho:

 

Uma colher de sopa de alcaparras;

um copo de creme de leite fresco, ou menos;

suco de um limão;

azeite, um pouco.

 

Refogue a cebola no azeite. Deixe ela ficar meio transparente.

Acrescente o salmão, as ervas, o sal e a pimenta.

Logo depois, o vinho branco. Deixa dar uma fervida pra liberar o álcool do vinho e, antes que o salmão cozinhe, quando ele estiver mudando de cor, ainda bem mal passado, desligue o fogo.

Tire o excesso de ervas, os galhos principalmente, e passe tudo no liquidificador, com apenas o suficiente de creme de leite para permitir o processamento de tudo.

Acrescente a gelatina dissolvida conforme manda as instruções do pacotinho, bata mais um pouco.

Forre uma forma de bolo, de preferência daquelas que tem um buraco no meio, com os salmões defumados. Tem que forrar bem, com salmão defumado em todas as paredes da forma.

Despeje o salmão batido na forma, cubra com um papel filme ou laminado e coloque na geladeira por algumas horas. Eu prefiro deixar de um dia pro outro.

No dia de servir, coloque os ingredientes do molho no liquidificador e bata.

Desenforme o salmão, preencha o meio da mousse (se você usou a forma com o buraco) e regue os seus lados com o molho e pronto. É só servir com um pãozinho ou uma bolachinha.

Como é uma gelatina, o ideal é fazer mais de uma forminha média, ao invés de uma grande, pra não derreter tudo de uma vez quando for servir.

Até a próxima!

Tati

h1

Pão com Nata

maio 19, 2008

Esta receita facílima eu já comia quando criança, na casa da minha avó, e adorava… Hoje costumo fazer com algumas adaptações (um pão melhor, um queijo melhor). Fica bem de entrada, com uma boa salada verde, pra petiscar com um bom vinho ou uma cerveja gelada. Sempre que faço pros amigos, todo mundo aprova, mesmo quando eu queimo uma fornada (sou craque em desastres culinários).

Você vai precisar de de um bom pão (gosto do tipo bola, italiano ou português) cortado em fatias nem muito finas, nem muito grossas. Uma cebola média ralada, dois pacotes de parmesão ralado e um pote de nata. Nata mesmo. Do leite da vaca. Aqui em Recife se encontra nos mercados. O de Casa Amarela e o da Madalena sempre tem, a não ser quando está faltando.

Num recipiente, você mistura o pote de nata, a cebola ralada e um pacote de queijo ralado. Com garfo mesmo. Coloca as fatias de pão numa forma e passa este creme por cima. Polvilha o outro pacote de queijo ralado por cima, como quem faz pra gratinar. Depois é só colocar em forno alto, pré aquecido, até a nata e o queijo estiverem bem douradinhos. Não sei o tempo. Presta atenção pra não queimar!

Bom apetite, Ceó.

h1

Sanduíche de Microondas

maio 12, 2008

Categoria: Lanche

Dificuldade: Facílimo

Tempo de Preparo: VaptVupt

Ocasiões: Fim de noite, madrugada, quando a fome bater…

Ingredientes: Basicamente, você pode inventar o seu com o que tiver na geladeira.

Esse da foto eu usei três fatias de pão de forma sem casca, requeijão, três fatias de presunto, queijo estepe ralado grosso, cebola fatiada, orégano e azeite. Neste eu não usei mas costumo fritar bacon em tirinhas pequenas e colocar por cima.

Modo de Preparo: Pega uma fatia de pão, passa requeijão, coloca uma fatia de presunto em cima, e depois o queijo ralado. Coloca outra fatia de pão em cima e repete. Depois mais um pão, requeijão, presunto e queijo. Por cima a cebola fatiada (como na pizza de calabreza) e óregano. Coloca no microondas pra derreter o queijo. É o tempo de encher um copão de gelo, abrir a garrafa de coca-cola e tá pronto. O pão fica molinho encharcado de requeijão. Quando tirar do microondas finalizar com azeite.

Eu faço essa receita desde adolescente. É fácil e um lanche gostoso. E pode ter infinitas variações… pode ser mais light ou mais gordo… mais popular ou mais gastronômico… depende da sua criatividade. Só acho que um queijo cremoso é importante pra impregnar no pão.

Beijos, boa larica. Ceó Pontual

h1

Costela de Cabrito

maio 1, 2008

Um dia testei a costela de cabrito num churrasco, dei um vacilo e queimei as pobrezinhas, tive um profundo arrependimento, pois o sabor tava show de bola, tinha temperado com Black Pepper (q eu num sei, mas acho q é um derivado da pimenta do reino, só q preta), páprica picante (vermelha) e suco de laranja;…Putz, se num fosse o queimado…

Mas mesmo assim as costelas ficaram boas, e daquele jeitinho q agente separa as costelinhas e vem aqueles palitinhos dos deuses, q acompanham qualquer birita q se preze. Qualquer dia desses vou repetir e caprichar no preparo.

Nesse domingo tava nessa intenção, mas quando cheguei no Extra, pra minha surpresa, não tinha nenhuma costela, diferente de outros dias q sempre passei e vi a estante cheia. Lá sempre tem, ao contrário dos outros supermercados, mas nesse domingo tinha, mas tava faltando…

Tatty, sacando minha decepção, achou no Bompreço e comprou, fiz hoje no almoço e ficou muito bom, inclusive com os nhoques de ricota q ele postou aqui naCozinha, vamos lá antes q me esqueça:

<!–[if !supportEmptyParas]–><!–[endif]–> Peguei a costela e deixei marinando de um dia pro outro em cominho, tomilho, uma cabeça de alho cortada grosseiramente e com casca, um pouco de vinagre de arroz e conhaque Domec.

No outro dia, esquentei a frigideira bastante praquela selada de praxe. Antes de ir pro fogo se quiser q fique com aquela cara de carré, tipo as garras de Wolverine, vc dá uma arranhada com a faca naquela membrana (cartilagem?) q fica envolvendo o osso, somente do lado do osso e da parte onde a costela é mais fina, daí qdo for pro forno à carne vai soltar todinha e se concentrar do outro lado.

Bom, esquentei a frigideira e selei as costelas do lado da gordura apenas, até quase queimar. Depois botei numa assadeira untada com a gordura pra cima e o osso pra baixo, mandei pro forno e marquei 30 min de fogo baixo, a costela é fina e com pouca carne, cuidado pra num secar de mais.

Enquanto isso, peguei a marinada e despejei na frigideira pra soltar a graxinha, coloquei uma potoca de margarina e metade de um tablete de caldo de cominho com outras paradas lá, qdo tava tudo ficando uniforme despejei suco de maracujá, acho q era uns 300 ml ou mais. Deixei reduzir um pouco e qdo faltavam 15 min pra costela sair do forno, banhei-a-a com esse caldo deixando dar uma fervida.

Ficou show, minha gente, e acompanhada do nhoque, o molho de maracujá e adjacências por cima. O bagúio ficou chique no úrtimo, visse…

Abraços, Berna