Archive for abril \30\UTC 2008

h1

Nhoque de Ricota

abril 30, 2008

Olha ai uma receita light e que traz sorte 🙂

Nhoque da sorte

Por superstição ou crença, cada vez mais brasileiros tradicionalmente preparam um belo nhoque todo dia 29. Diz a lenda que saborear este prato traz sorte por 30 dias seguidos!

Muita gente come apenas sete nhoques e os mastiga por sete vezes. Esta crença surgiu na Itália, quando um frade andarilho bateu à porta de um casal de velhinhos, num dia 29. Pediu um prato de comida e recebeu o único alimento que havia: nhoque. Tempos depois, voltou ao local e contou aos velhinhos que, após comer aquele prato, sua vida mudara para melhor.

Esse nhoque é muito facil de fazer e uma delícia!

Igredientes:

  • 1/2KG de ricota
  • 150g de farinha de trigo (1 xícara de chá e mais um pouquinho)
  • 100g de queijo parmesão
  • 2 ovos

Modo de fazer:

Passe a ricota na peneira, ou no amassador de batatas (voce quer uma ricota mais seca, se ela for muito molhada deixe secar um pouco na geladeira aberta), adicione a farinha os ovos e a metade do queijo parmesão, misture bem e tempere com sal, faça bolinhas dessa massa com formato de nhoque, cozinhe em bastante água fervente a medida em que eles vão emergendo retire-os com uma escumadeira, arrume-os em uma travessa e tempere com manteiga ou azeite ou o molho desejado e o resto do parmesão. Eu ontem aqui em casa fiz um molho de tomate normal, muitos tomates( que estão carésimos) cebola, alho, manjericão, tomilho e muito amor e deixa rolar.

beijo a todos

Tatty

Anúncios
h1

Bolo tipo brownie de chocolate

abril 28, 2008

Estou colocando a receita original (copiada de uma embalagem de chocolate) e colocando as modificações que fiz no almoço aqui em casa no dia 21/04/2008 XD.

  • 2 barras de chocolate meio amargo picado (340g)
  • 110g de margarina (9 colheres de sopa)
  • 1colher de chá de essencia de baunilha (não coloquei, até tinha em casa, mas me esqueci)
  • 3 ovos
  • 1 xícara de chá de açúcar
  • 1e1/2 xícara de farinha de trigo
  • 1 colher de café de sal
  • 1 xícara de chá de nozes picadas (não coloquei)

Modo de preparo:

Derreta em banho maria o chocolate e a margarina, adicione a baunilha, bata os ovos com o açúcar( na receita manda bater na batedeira até obter uma mistura fofa, eu não tenho batedeira bati uns 5 minutos a mão), acrescente o choclate derretido, a farinha de trigo e o sal misture e coloque as nozes ( eu não usei nozes, parti grosseiramente um chocolate talento com castanha do Pará e joguei por cima da massa).

Assadeira untada e enfarinhada 30 minutos no forno médio p/ baixo.

com ♥ Tatty

h1

Beringela de Gravata

abril 27, 2008

 

 

 

 

Assim como Tiago, também iniciei uma dieta. E vou dizer uma coisa: é preciso muita criatividade pra comer bem e ainda fazer dieta. O pior é que não tem quem agüente muito tempo de dieta se as opções não forem realmente saborosas. Na verdade, desde que comecei, há mais ou menos três semanas, tenho comido bem melhor do que antes. Como não posso comer tudo, nem tanto, quanto gostaria, passo a escolher melhor o que comer. O resultado é uma dieta mais rica, menos gordurosa e nem por isso menos saborosa.

 

Esse prato, além do mais, é bem bonito, colorido, a gente já começa comendo com os olhos.

 

Usei um pacote de 250g de macarrão daqueles de gravata. Eram coloridas as gravatinhas. Duas beringelas médias, um bom pedaço de ricota light, daquelas bem secas mesmo, uma cebola grande, uns três dentes de alho, duas latas de tomates pelados, eram italianos e não tinham muita acidez, mas se só tiver do mais ou menos, vale colocar um adoçante ou um pouco de açúcar no molho pra reduzir a acidez. Um pouco de cogumelo shimeji do branco (foi a primeira vez que eu vi por aqui, comprei na Frutaria). Um nada de azeite e um punhado de um tempero italiano composto de várias ervas, todas secas, e alho, seco também.

 

Não sei direito o que eram os temperos porque comprei o saquinho de tempero, junto com vários outros, de vários sabores, quando estive na Itália agora em março, só que eu não sei italiano, então não sabia direito o que tinha em cada um, tava procurando alguém pra traduzir o nome dos temperos quando Antônia, a que ri, botou o conteúdo desse saquinho em um vidrinho, providência mais do que bem vinda porque protege o pozinho das intempéries da cozinha, recortou o título do saquinho e jogou fora o resto da embalagem, com a descrição do conteúdo junto. L . Enfim, não sei dizer o que era mas acho que se botar algumas ervas secas, mais um alho seco, mais uma  pimentinha calabresa, vai dar parecido. O importante é que fique bem cheio dos temperos e meio apimentado. Lá na Itália vende em quase todo canto esses saquinhos de temperos que a gente pode usar de várias formas, inclusive simplesmente misturando com azeite e jogando na massa. É o bicho!

 

Voltando à receita, cortei a beringela em rodelas, espalhei sobre uma tábua e coloquei sal. Dizem que se faz isso pra sair um tal amargor que ela teria. Não sei se é verdade mas que a bicha começa a suar depois do sal, ah, isso acontece.

 

Cortei a cebola em pedaços grandes, sem ser em rodelas, meio parecido com a cebola do chinês. O alho também cortei em pedaços não muito pequenos. E as beringelas, depois que suaram o tal amargor, cortei em quatro, cada rodela.

 

Coloquei bem pouquinho azeite em uma frigideira alta, em fogo baixo, e coloquei a cebola pra refogar, depois o alho. Quando a cebola já tava bem passadinha e o alho também, acrescentei as duas latas de tomates pelados. Amassei os tomates, mexi pra cá, mexi pra lá, deixei um pouquinho e acrescentei as beringelas. Deixei cozinhar um pouco, acrescentei os cogumelos, o punhado das ervas, e sal.

 

Enquanto isso, o macarrão tava cozinhando. Eu gosto de massa al dente mas quando é gravata eu deixo cozinhar um pouquinho mais, ainda assim, deixei ficar meio al dente. 

No final, quando já tava praticamente pronto, acrescentei a ricota cortada grosseiramente com as mãos.

 

Tem que tomar cuidado pra berinjela não virar pasta, o ideal é que ela fique também al dente. E eu recomendo fortemente um bom tinto porque como a massa é bem rica em ervas, cheiros e sabores, à medida em que se come e se bebe, o vinho vai potencializando os sabores, o negócio vai crescendo, crescendo. E, dependendo do vinho, já que as ervas não são alucinógenas, no final, dá até barato! Nesse dia tomamos um Bourgogne 2003, pinot noir. Como diria Berna, foi show!

 

Até a próxima.

Tati.

 

 

h1

HOJE É DIA DE COMEMORAR

abril 24, 2008

CHEGAMOS AO NOSSO POST NÚMERO 50!!!

O POST NÚMERO 50 FOI A HISTÓRIA/RECEITA DA MOUSSE DE LIMÃO PUBLICADA POR SANDRA.

PARABÉNS AOS AUTORES, COLABORADORES, VISITANTES E A TODOS OS QUE FAZEM O NACOZINHA.

BEIJOS E ABRAÇOS,

NACOZINHA

h1

MOUSSE DE LIMÃO

abril 24, 2008

Esta receita é tão fácil, tão fácil, tããão fácil, que chega dá gosto! Eu comi a primeira vez na casa de Trude, Tia Trude de Tiago, que, aliás, se garante como poucos nacozinha!

Depois que comi lá, já fiz lá em Carneiros, num dia em que o prato principal foi paella e, na entrada, alguns frutos com muita sangria, e também fiz a mousse dobrada, além de um cheesecake que deu uma queimadinha mas mesmo assim não foi perdoado pelos convivas, para levar para a BRAVE que foi o aniversário de Paula, no último sábado. Aliás, festinha show de bola, hein?!!

Vale ressaltar que, desta última vez, na hora de servir, esqueci de esfarelar biscoito maria por cima da mousse já pronta, que é um detalhe que Trude faz e fica ótimo! O pior de tudo é que eu tinha levado o biscoito maria p/ a BRAVE…, no entanto, porém, todavia, contudo, na hora que a mousse foi para uma das ilhas (rsrs), eu nem me lembrava mais da maria empacotada na minha bolsa! KKKKKKKKKKKKKK

Well, p/ fazer, coloca no liquidificador 1 lata de creme de leite sem soro, outra de leite condensado e o suco de 2 limões, bate bemmmmmmm muito, leva p/ geladeira até endurecer, ou melhor, até ficar na consistência de mousse e pronto: tá pronta a mousse! Sim: não esquecer de esfarelar Maria por cima!

Beijos

Sandra

 

PS. No novo endereço do frasesilustradas – http://frasesilustradas.blogueisso.com/ – tem uma ilustração de limão que eu adorei. Na verdade, não tem muito a ver com esta receita, aliás, esta receita infirma a frase e o desenho, já que é docinha e deliciosa, mas mesmo assim, copiei aí no fim mais esta maravilha do nosso super CO:

 

 

 

 

h1

Picanha e Maminha no forno com molho de Sardinhas Anchovadas

abril 22, 2008

Bom, como sempre não anotei os tempos e quantidades, mas acho q no final das contas esse blog é pra isso mesmo, dar o mote e, na sequencia, as novas tentativas das receitas vão aprimorando o preparo.

Tinha uma peça de picanha aqui em casa pra fazer pra Melissa (hospede americana, amiga de Suzana, irmã de Tatty q mora no Oregon-EUA). Ela odeia qualquer coisa do mar e adora carnes. Ainda não apresentamos mas, antes dela ir embora, agente vai levar ela pra comer um Bode Guizado tradicional de nossa terra, de preferencia acompanhado de cuzcuz ou macaxeira..

Nesse feriado 21 de abril, veio uma rapasiada maior aqui pra casa e daí agente comprou mais uma peça de Maminha. Q em alguns preparos no forno poraqui, anda ficando mais suculenta e saborosa q a picanha. Cortei ambas as peças em dois e coloquei os 4 pedaços numa salmoura com, uns 4 dentes de alho picados grosseiramente, umas 8 mini cebolas cortadas em 4, pitadas de cuminho e cobri com vinho. Nesses meus últimos testes tenho colocado o cuminho pois pra mim ele tem amenizado o sabor do vinho no molho. Não gosto qdo o molho fica com aquele gosto de vinho, mas também acho q cuminho demais numa carne de forno é desnecessário. Cuminho de mais somente naquele bode guizado clássico.

Após algumas horas e qdo a picanha descongelou totalmente, esquentei bastante uma frigideira e comecei a selar a carne. Coloquei os pedaços aos poucos pra num juntar água e pra formar aquela graxinha no fundo da frigideira. Demorou pois selei quase todos os lados, bem selado, quase ficando preto de queimado. E sempre começo a selar com a parte da gordura depois os outros lados.

Ah, ia me esquecendo, um dos pontos primordiais: das outras vezes q fiz desse jeito, já colocava o sal na salmoura, e como utilizava a salmoura pra soltar a graxinha da frigidira até reduzir o caldo, o molho sempre ficou bastante salgado. Dessa vez tirei a carne da salmoura e passei bem pouco sal grosso em todo o pedaço e sempre eliminando o excesso, pra depois selar.

Bom, durante o selamento coloca o forno pra aquecer em +ou- 205 graus. Depois de selada, coloca a carne numa assadeira, sempre com a gordura pra cima e manda pro forno. Como selei bastante e cortei as peças em dois pedaços cada, o tempo de forno ficou em torno de 30 min. A carne ficou com um visual show. Depois de alguns tempos, agente tem adquirido o costume de sempre desligar o forno um tempo antes de servir a carne, deixar o cozimento interno da carne dar uma baixada e servir em seguida, acho q uns 5 a 10 min antes. Desse jeito o sangue em vez de evaporar fica mais e qdo vc corta tem logo auela visão do paraiso.

Enquanto a carne tá no forno, coloquei a salmoura na frigideira e com uma colher de pau raspei a graxa do fundo, mantive o forno alto até ferver, depois baixei o fogo e esperei o caldo reduzir, mais ou menos na metade do processo de redução coloquei as sardinhas anchovadas pra derreter no caldo, foi metade do copinho.

Isso acompanhado de uma massa bem fina aldente, fica um show. Coloca o molho em cima e pronto.

Tatty ainda fez um purê de batatas e arroz pro acompanhamento. E depois agente comeu um bolo de chocolate q ela tinha feito junto com um mousse de limão q Tati e Paulinha trouxeram.

Junto com o Pudim de Salmão q Tati fez de entrada, esse Bolo (q Tatty bota uns chocolates Talento no preparo) e o Mousse de Limão merecem um espaço reservado aqui no naCozinha.

Antes de me despedir e emtempo, um pouco dessas sardinhas anchovadas amassadas grosseiramente com um bom azeite e acompanhadas com um pão portugues pra melar, é um tiragosto pra acompanhar qualquer tipo de birita.

Valeu, abração, Berna

h1

Omelete de Berinjela e Gorgonzola

abril 17, 2008

Perdi 5 quilos em 15 dias fazendo a dieta da proteína, mas, tive que suar bastante para incrementar meu cardápio diário, pois, não é fácil se manter nessa dieta por muito tempo.

Numa dessas noites inspiradas, resolvi fazer um omelete. Comecei a procurar alguns ingredientes na geladeira, acabei achando um pedaço de queijo gorgonzola, e, logo em seguida, o jantar da noite anterior que tinha sido berinjela refogada e carne. Na verdade, a carne já tinha acabado e só tinha a berinjela.

Resolvi juntar tudo e transformar num omelete. Acresentei um pouco de queijo de coalho a esses ingredientes e parti para o abraço.

Receita:

Berinjela Refogada

2 Berinjelas descascadas e picadas em cubinhos.

1/2 cebola grande picada

1/2 pimentão picado

1 tomate pequeno picado

2 colheres de molho shoyo

2 colheres de azeite

pimenta do reino moída na hora.

Modo de fazer: coloca o azeite para esquentar um pouco e coloca a cebola para refogar. Em seguida coloca o pimentão e depois o tomate. Acrescentar a berinjela e segue refogando. Colaca o molho shoyo e a pimenta e cozinha até os cubinhos de berinjela começarem a ficarem amolecidos. Eu tirei neste ponto. Quanto mais tempo de fogo, mais a berinjela irá amolecer, tornando-se praticamente uma pasta.

Omelete   

2 ovos

queijo gorgonzola coalho picados (não calculei as quantidades, coloquei +ou- um punhado que cabe na mão de cada).

beringela refogada (a quantidade dos 2 queijos)

sal

Modo de fazer: Separa o queijo. Mistura os ovos até a gema e a clara ficarem homogêneos e coloque o sal. Esquente uma frigideira e despeje a mistura de ovos. Deixe cozinha um pouco, acrescente a berinjela e os queijos e tampe. Em seguida, feche o omelete e novamente tampe a frigideira. Depois vire o omelete e tampe novamente, deixando por mais um tempinho e estaré pronto para ser degustado.

Espero que aproveitem.

Abraços,

Bolo